Um dia em Orvieto + o que ver

Orvieto é mais uma das muitas cidades lindinhas da Umbria situada em cima de uma colina, mas que utiliza um meio de transporte para chegar até lá um tanto interessante: o Funiculare.  É um bate e volta rápido e prático vindo de Roma e também uma opção bacana para quem está em Perugia, porém o percurso vindo da capital da Umbria demora um pouquinho mais e faz, obrigatoriamente, baldeação de trem. 
(Foto: frank1030/Flickr)

  • Trem de Roma até Orvieto: O trajeto demora cerca de uma hora e meia, com bilhetes custando, em sua maioria, 8,15 euros.
  • Trem de Perugia até Orvieto: Cerca de duas horas de percurso, com no mínimo uma troca de trem e bilhetes começando em 7,70 euros.
Logo ao sair da estação de trem você avista a “estação” do funiculare. Acho interessantes e divertidas as maneiras que os italianos encontram de tornar os centros históricos quase sempre em cima de colinas, acessíveis.

A minha motivação de visitar Orvieto não permanecia apenas na vontade de conhecer uma nova cidade bonitinha e medieval, era um pouco mais que isso. Orvieto serviu de cenário para um dos meus livros preferidos: A doce vida na Umbria. É difícil explicar a ligação e o que eu sinto estando na Itália, é como se estivesse vivendo 24 horas um sonho, tudo é lindo e parece saído de um filme ou um livro rs. Andar por essas ruas e imaginar as cenas do livro foi como estar dentro da história, que sorte poder realizar esses desejos da minha imaginação.  

O entardecer desse dia tinha um rosado lindo, mais mágico impossível. ❤

Depois que você sair da estação de trem de Orvieto, compre o bilhete para o divertido Funiculare. Custa € 1,30 por pessoa mas para crianças com menos de 6 anos o ingresso é gratuito, a validade é de 90 minutos e também é possível pegar o ônibus que leva à praça do Duomo com esse bilhete – se dentro do tempo de validade, claro.

O Funiculare é como se fosse um bondinho, que sobe a colina fazendo um caminho por entre árvores, com muito verde e uma bonita vista panorâmica da base da cidade e arredores montanhosos.

Então, descendo do Funiculare na Piazza Cahen, recomendaria três possíveis opções: conhecer a Fortezza Albornoz que está a sua esquerda, ir caminhando até o centro histórico ou pegar o ônibus até a praça do Duomo. A cidade é pequena e fazer um giro por toda ela em um dia turistando é mais do que possível. Eu preferi começar logo pelo Duomo porque era inverno e a luz escassa, além de ainda ter alguma esperança de fotografar a obra de arte com um fundo de céu azul (o que não aconteceu rs) e deixei a Fortezza para o final por ela ser uma vista panorâmica e imaginar que no entardecer seria uma boa pedida (e realmente foi, ganhei de presente um final de tarde rosado).

O ônibus que leva até o Duomo.
A praça do Duomo tem alguns banquinhos rústicos para ficar admirando a linda fachada.

Sugestões do que fazer pela cidade:

  • Conhecer o Duomo: não só admirar por fora essa linda obra arquitetônica que tem seu início de construção datado em 1920, mas também visitar o seu interior é uma boa pedida. Eu particularmente não fui, mas vi algumas fotos enquanto pesquisava para escrever este artigo e tanto os afrescos quanto as esculturas são bastante interessantes. O ingresso custa € 4,00 por pessoa (crianças até 10 anos não pagam).
Realmente é de uma beleza incrível, me lembra bastante a fachada da catedral de Siena, minha preferida.
  • Orvieto Subterrânea: É possível comprar no Ufficio del Turismo (em frente ao Duomo) um passeio guiado para conhecer cavernas que foram construídas pelo homem há mais ou menos 2500 anos atrás, ou seja, muitos anos de história não é mesmo? Incrível ainda termos a oportunidade visitar uma rede de túneis como essa, muito bem preservados, que no passado já serviram como esconderijo, local para conservação de produtos, passagem de mercadoria contrabandeada…
Sugestão de passeio interessante, Orvieto subterrânea. (Flickr/Lee.S.T)
  • Poço de San Patrizio: O poço foi construído por uma ordem do Papa Clemente VII, na década que vai de 1527 até 1537, para garantir o abastecimento hídrico da cidade no caso de uma invasão. Ele é constituído por uma coluna oca cilíndrica, com 63 metros abaixo da terra e 13 metros de largura, além de ser cercado por duas escadarias de 248 degraus cada. Com certeza para quem gosta de vivenciar obras de engenharia antiga é um prato cheio.
Não fiz a visita ao poço, mas deixo a recomendação caso alguém tenha interesse. (Flickr/Barb Mayer)
Depois de ficar uns bons minutos admirando o Duomo e esperando que as nuvens fossem embora definitivamente (mas sem sucesso como podem ver pela foto rs), decidi pegar a Via del Duomo e me perder pelas ruelas “alimentando” os olhos com as belezas pelo caminho.
Adoro entrar nas lojas e observar a criatividade de um artista.
Os detalhes fofos estão por todos os lados porém “não toque” rs.
Aquela foto mais tradicional impossível, mas que a gente ama!
Já avistando a Torre del Moro (é possível subir e ter uma vista panorâmica da cidade), que fica bem no coração do centro.
  • Torre del Moro: Outra sugestão bacana para quem gosta de conhecer as cidades do alto é subir a torre. São 47 metros de altura e uma linda visão de 360 graus dos arredores. O ingresso custa € 2,80.
Aqueles ângulos que merecem um enquadramento.
  • Tomar um café no Montanucci: Uma super dica é fazer uma parada no meio da tarde para tomar um café e comer algo gostoso nesse tradicional local da cidade. Tem de tudo um pouco, doces, salgados, lanches, almoço, gelato, enfim… Fica na Corso Cavour, 23.
A fachada do Montanucci não revela a beleza do seu interior, o ambiente é super espaçoso, a decoração é moderninha e o atendimento nota 10.
Poucas coisas são melhores que tomar um cappuccino bem quentinho acompanhado de um doce na medida! ❤
Chiesa Sant’Andrea.
Ao fim da Corso Cavour, completando o giro pela cidade, você sairá na Piazza Cahen, onde fica a Fortezza Albornoz e, logo ao lado, o Funiculare.
  • Fortezza Albornoz: Lugar para curtir a linda vista que a altura nos proporciona, ver um pouco de verde e fechar o passeio com chave de ouro. Depois de curtir o entardecer, dirija-se ao Funiculare, compre mais um bilhete e desça até a estação de trem. Outra opção é fazer a descida caminhando, cerca de um quilômetro.
Mirante da Piazza Cahen.
Lindos tons de verde, não?
A Fortezza tem belos jardins, vale a pena dar uma volta para curtir o verde e a vista.
Se isso não é um entardecer mágico, em pleno inverno, então não sei o que é. Lembro de ficar um bom tempo admirando em silêncio e agradecendo a oportunidade de vivenciar momentos tão bonitos como esses.
Enfim, Orvieto foi um passeio muito agradável, realmente recomendo! 🙂
  • Sugestão de dobradinha: Conhecer Civita di Bagnoregio! Existem ônibus que saem de Orvieto e levam até a famosa cidade que está “desaparecendo”. Eu não fui até lá, então recomendo perguntar informações no Ufficio del Turismo, com certeza vão saber te orientar.
A pitoresca Civita di Bagnoregio. (Flickr/italo losero)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s